A Bahia é um dos destinos brasileiros que mais gostamos de viajar com a Malu – que é praticamente uma baiana 😄. Primeiro porque adoramos praia, e lá é praticamente garantido que o tempo estará bom, além da beleza natural incontestável. Segundo porque há uma imensa variedade de hospedagens com infraestrutura para receber bebês e crianças. Terceiro porque são voos curtos saindo de São Paulo, de no máximo duas horas, o que além de ser mais tranquilo com bebê e criança pequena, também é viável pra ir num feriado ou poucos dias. 

Já fomos três vezes desde que a Malu nasceu. Das dezenas de roteiros possíveis, fomos para Arraial D’Ajuda, quando ela tinha seis meses, para Santo André, com 11 meses, e Praia do Forte, com 15 meses. 

  • Trajeto

Tanto para Arraial D’Ajuda quanto para Santo André, que ficam no sul da Bahia, a melhor opção de voo é para Porto Seguro – um percurso de somente uma hora e meia saindo de São Paulo.

Quando fomos para Arraial, como disse, a Malu tinha somente seis meses e foi a nossa terceira experiência de viagem de avião com ela – a primeira foi para o Rio quando ela tinha apenas três meses. Ficamos no Arraial D’ajuda Eco Resort:, que fica ao lado do aeroporto de Porto Seguro, são cinco minutos do aeroporto à balsa oferecida pelo hotel e mais 15 minutinhos de balsa super tranquila. Mais um motivo de adorar esse hotel, facilidade de chegar.

Transfer com cadeirinha

Para o vilarejo de Santo André, pegamos o transfer do hotel no aeroporto de Porto Seguro. Foi ótimo porque eles disponibilizaram cadeirinha, garantindo a segurança da bebê no trajeto de menos de uma hora. Estrada boa e também tem um trecho tranquilo de balsa.

Já para a Praia do Forte, partimos de São Paulo rumo a Salvador – um voo de duas horas. Fechamos com um transfer indicado pelo Iberostar Selection Praia do Forte para irmos do aeroporto até o hotel que também forneceu cadeirinha, trajeto também tranquilo de cerca de uma hora.

Em relação aos voos, os três foram tranquilos para a Malu, concluídos com sucesso! 

Algumas dicas que valem a pena seguir para viagens de avião com bebês e crianças pequenas

  • Para percursos longos, sempre dar preferência a voos noturnos;
  • Para conseguir o bercinho é importante reservar o assento na primeira fileira depois da classe executiva, pois é a única localização da aeronave que o possui, checar com cia aérea se a aeronave do trajeto tem essa opção;
  • Dar mamadeira, peito ou chupeta no pouso e na decolagem para evitar dor no ouvido, nossa bebê nunca teve nem sinal de dor no ouvido;
  • Levar mamadeira com água e leite em pó na mala de mão;
  • Voos internacionais longos costumam ficar super gelados, leve uma roupinha quentinha e manta para o bebê;
  • Trocar a fralda antes de embarcar para evitar perrengues no avião – dependendo da aeronave o trocador de dentro dos banheiros tem muito pouco espaço.
  • É permitido levar papinha para consumo no trajeto.

Leia também: Guia de como viajar com bebês e crianças no avião 

  • Hospedagem

Em Arraial D’Ajuda ficamos hospedados no Arraial D’ajuda Eco Resort, que fica dentro do Arraial Eco Parque. Os quartos são equipados com berço e banheira para bebês. Os acessos para circular com carrinho são ótimos, além de ofereceram copa baby com esterilizador e escova de mamadeira. 

O Arraial D’ajuda Eco Resort ainda conta com piscina aquecida para crianças, parquinho grande e cheio de brinquedos, brinquedoteca com atividades e recreadores o dia todo. Também há uma programação noturna para os pequenos com teatro de mágicos. 

O atendimento é muito bom, com profissionais gentis e direito a frutinha à vontade na beira da piscina. Pra mim é uma das melhores opções com crianças que já fiquei, um resort menor, pois eu não curto muito esses resorts enormes, lotados, tudo longe, opinião pessoal.

Em Santo André ficamos no Campo Bahia Hotel Villas Spa. O atendimento é excelente e os quartos também possuem berço, banheirinha e geladeira com freezer. O hotel ainda oferece brinquedoteca e uma área de lazer muito legal para crianças. Alimentação: se dispuseram a cozinhar o que quiséssemos para a nossa bebê. A piscina não era aquecida, então quando fomos em julho, estava bem fria. Mas adorei o hotel e a região, um paraíso e super tranquilo, sem muvuca.

Curiosidade: esse hotel foi construído pela seleção de futebol da Alemanha na Copa do Mundo no Brasil, e a praia em frente de chama “Praia do 7×1”. 

Na Praia do Forte a hospedagem escolhida foi a Iberostar Selection Praia do Forte, que também contava com toda aquela infraestrutura de grandes hotéis, com área de lazer, restaurantes, diversas piscinas, inclusive para bebês, kids club, parquinho, recreação e atividades diversas. No quarto oferecem berço, banheirinha e frigobar. 

Apesar de toda boa infraestrutura para ir com bebês e crianças, que é ótima, nós preferimos hotéis menores, com menos gente, atendimento mais personalizado e mais privativos. Neste quesito, preferimos as hospedagens que ficamos em Arraial D’Ajuda e Santo André. Ainda assim uma alternativa que achamos no Iberostar foi pagar um valor adicional pelo Star Prestige para ter acesso a locais exclusivos, tipo um espaço confortável de frente ao mar, maior variedade de drinks, tranquilidade, petiscos o dia todo, carta de vinhos especial nas refeições, amenidades Loccitane no quarto, entre outras. Aproveitamos muito.

  • Passeios

Tanto em Arraial D’Ajuda como na Praia do Forte, além das praias que são uma delícia, aproveitamos bastante as dependências dos hotéis, que tinham muitas atrações para nossa bebê e para nós também. 

Praia de Guaiú

Já em Santo André, logo no primeiro dia fomos fazer um passeio de lancha até Trancoso, de mais ou menos uma hora e meia. Foi a primeira vez que a Malu passeou em um barco e, mais uma vez, nos surpreendeu positivamente pela capacidade de se adaptar e curtir. Ela estava super animada, mandando beijos e tchau para todos os lados, e também tirou uma bela soneca no trecho da ida quase todo! 

Dica: leve um moletom com capuz, mantinha de algodão ou toalha para proteger da ventania. Também opte por uma embarcação com cobertura / proteção do sol. 

Outro passeio maravilhoso foi ir à praia de Guaiú, a 15 km ao norte do povoado de Santo André. Fomos conhecer o famoso restaurante da Maria Nilza, pé na areia e com um visual incrível. O arroz de polvo é o carro chefe da casa. 

  • Alimentação

Para Arraial D’Ajuda, como ela estava começando a introdução alimentar, levamos papinhas congeladas. Há algumas alternativas práticas como as do Empório da Papinha e Gourmetzinho, que fazem embalagens de viagens. Outra opção prática e 100% natural é a Da Vovó Papinhas, que não precisa refrigerar pois é embalada a vácuo.

Malu já na introdução alimentar

Para o vilarejo de Santo André levamos a bolsa térmica com as papinhas congeladas no voo, e deixei ela na bagagem que foi despachada. Mas no hotel, como o atendimento era super personalizado, ofereciam cozinhar o que precisássemos para ela também.

Na Praia do Forte, optamos por dar a alimentação do buffet do Iberostar. Além de bem preparados para receber bebês, com quartos super equipados, a Copa Baby tinha geladeiras com papinhas artesanais de vários tipos e frutas à vontade, e ainda há opção de Menu Kids nos restaurantes. Foi tranquilo e não tivemos muitos problemas em relação a isso, o buffet era bem variado.

Levar leite também sempre é um opção segura. Eu procuro sempre levar um tanto maior do que o cálculo que faço para os dias de viagem, com sobra para o caso de, principalmente depois da introdução alimentar, a Malu não se adaptar à gastronomia local ou à rotina da viagem e “enroscar” para comer. Em Leite em pó e mamadeiras em viagens de avião há várias informações sobre o tema. 

Leia também: Guia de alimentação para bebês e crianças em viagens e passeios

  • Documentação

Para destinos nacionais, crianças de 0 a 15 anos acompanhadas por pais ou responsáveis precisam levar a Certidão de Nascimento, original ou cópia autenticada, ou um documento com foto, que pode ser o RG ou o passaporte válido. Crianças menores de 16 anos só podem viajar sozinhas com autorização judicial. Não é necessária autorização judicial nos casos de menores de 16 anos acompanhados de pais, avós, bisavós e tios, desde que as relações sejam comprovadas por documento oficial. Para o caso de algum terceiro, o responsável pode autorizar por meio de autenticação em cartório.

Para tirar o RG, cada Estado brasileiro tem um órgão responsável. Em São Paulo, é super fácil e rápido pelo Poupatempo e a primeira via é gratuita. 

Já falei algumas vezes e acho importante reiterar que quando o assunto é documentação um seguro viagem tem que estar no check list, especialmente quando estamos longe de casa e com crianças. 

Embora nunca tenha precisado acionar, desde que a Malu nasceu, sempre adquiro meu seguro viagem com a April. É uma empresa sólida internacionalmente, com 30 anos de existência, atendimento 24 horas em português por telefone, Whatsapp, e-mail e pelo app April Móvel (Android e iOS ).

Gosto da April porque além da cobertura para despesas médicas, hospitalares e odontológicas e garantias no caso de extravios de malas, é possível customizar o plano perfil do assegurado e do tipo de viagem e com upgrades que cubram outras questões, como cancelamento de viagens, seguro de celular e notebook, entre outros.

❤️